terça-feira, 30 de abril de 2013

Faleceu a Professora Carmen Ballesteros

Foi com profundo pesar que recebi via Archport a triste notícia da morte de Carmen Ballesteros. Autora de alguns trabalhos relacionados com a presença judaica em Portugal, foi professora na Universidade de Évora e autarca. De doença prolongada se sumiu deste mundo. Á família os meus mais sentidos pêsames.
Que a terra lhe seja leve. Até sempre...

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Sepultura escavada na rocha na Escola Superior Agrária de Castelo Branco

Fiquei muito contente com esta fotografia. Ela é a prova de que uma sepultura que eu dava como destruída aquando da construção da Escola Superior Agrária, afinal escapou milagrosamente a desaparecer para sempre. Talvez agora fosse bom a ESA promover a sua divulgação e acautelar a sua preservação, já que se trata de um documento histórico que está ao seu cuidado.

terça-feira, 23 de abril de 2013

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Marco de limite de freguesia


Num recente passeio campestre deparamos com um marco que delimita as freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha. Já são poucos os que existem, pois aqueles que se situavam perto de estradas e caminhos têm sido roubados para irem adornar jardins particulares ou para negócio. A partir das próximas eleições autárquicas, estes malhões, que actualmente dividem as duas freguesias perdem o seu significado, o que fará com que os que resistem sejam objecto de activa procura por parte dos "buscadores" de pedras. Sendo assim, e porque não resistem muitos, seria de todo o interesse que se fizesse a recolha dos mesmos, pois são marcos da história das duas freguesias e do concelho idanhense. Á priori sei que nada vai ser feito, há mesmo quem queira deliberadamente branquear a história idanhense resumindo-a a meia dúzia de factos que cada vez mais estão sendo deturpados. Para alguns a história do concelho podia resumir-se á Senhora do Almurtão, à Pascoa e sua envolvência, às fantasias imaginárias sobre Idanha-a-Velha, a Penha Garcia e pouco mais, pois até Monsanto deixou de ter valor simbólico e uma antena monstruosa sobrepôs-se ao encanto e envolvência daquela que seria a aldeia portuguesa de Portugal.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Foi limpeza rápida, mas está bem melhor


Pelo menos as silvas e algum lixo já foram retirados do quintal da casa quinhentista que se situa nas imediações da Sé Catedral de Idanha-a-Velha. Ainda lá está depositado imenso lixo, mas, convenhamos, está bem melhor agora. Já se veem bem os dois portados quinhentistas que as silvas tapavam totalmente. Assim sendo apressei-me a tirar esta foto, pois daqui a algum tempo, e Deus queira que me engane, já estarão tapados pelas infestantes. Ás vezes pergunto-me se, no tempo das "vacas gordas" das Aldeias Históricas nunca houve uns míseros contos para adquirir ou expropriar esta casa para evitar o que por ora nos transmitem as imagens. Tanto dinheiro mal gasto, cinco telhados teve a catedral, casas em que foram feitas intervenções aberrantes e escusadas; fachadas só intervencionadas nos relatórios com os respectivos custos. Enfim, ao fim de tanta recuperação ainda temos jóias destas. Está por fazer uma auditoria aos dinheiros gastos  em Idanha-a-Velha, mas esta sugestão é pura e simplesmente posta fora de causa. Mas não só uma auditoria aos papéis, teria que se ir ao terreno confirmar os mesmos. Há por aí muitos engenheiros contabilísticos.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Antena ou antenas em Monsanto

Esta questão á volta das antenas instaladas nas imediações do castelo de Monsanto é a prova mais cabal de como em Portugal os mesquinhos interesses de alguns poucos se sobrepõem aos da maioria dos cidadãos. Eis os dados.
1. Alguém consegue uns metros de terreno por usucapião na antiga freguesia de S. Miguel em Monsanto;
2. Esse alguém constrói uma casa e ergue umas antenas para uma rádio local;
3. Á "pala" as operadoras de telecomunicações e as entidades públicas aproveitam para também lá instalar os seus equipamentos, decerto em troca de alguma renda, não acredito que estejam lá de graça;
4.Ás duas antenas é acrescentada uma mais este ano com todos os pareceres e licenças oficiais.

O que eu penso sobre a questão é simples e talvez demagógico para muitos, mas sou de parecer que não deveria haver nenhuma antena localizada no cabeço de Monsanto, já que é possível haver outras localizações alternativas. A poluição sonora emitida pela rádio local não é argumento significativo para se destruir a envolvente do castelo com antenas, cabos, etc.
Estranho que os responsáveis do Geopark Naturtejo nada digam já que estes "espetadores" de antenas estão danificando irremediavelmente um dos principais geo-monumentos deste Geopark.
E assim como comecei, acabo de maneira simples e clara, continuo a dizer que se está a favorecer uma minoria que tem manipulado a maioria da população com mentiras e "medos", e não se está a favorecer o bem público.
Este país é assim...

quinta-feira, 4 de abril de 2013

As antenas monsantinas na imprensa regional

O assunto é tratado muito pela rama. E o Geopark? E o Rádio Clube de Monsanto?
Quanto à Junta de Freguesia outra opinião não seria de esperar. Lembram-se dos altifalantes na Torre de Lucano?

terça-feira, 2 de abril de 2013

Misericórdia velha albicastrense

Os templos albicastrenses, todos eles, estão muito mal documentados em estudos históricos. A igreja de S. António deve estar no pelotão da frente. Foi mandada construir por Simão da Silva, o da Índia nos primórdios de quinhentos, aí funcionou a Misericórdia, sendo a igreja dedicada a Santa Isabel, passando depois ao patrono actual.
Hoje apresento deste templo a pintura que o seu tecto ostenta e peço aos eventuais leitores que me forneçam pormenores sobre a mesma, caso os tenham. Eu acho que é uma bela pintura setecentista, mas a nível desta arte não estou muito abalizado para confirmar esta minha opinião.
Conto, pois, com esta modesta contribuição, fomentar o conhecimento deste tão esquecido templo da minha cidade.
Espero pois...